O Balanço de Marta Temido

Costuma-se dizer que em política não há vazios. Pela mesma lógica, na ação governativa não há omissões. Quando algo não é feito, independentemente das intenções, está-se igualmente a seguir uma orientação política; quando uma governante (alegadamente) não consegue impor uma política ao seu governo, mantendo-se no cargo a aplicar uma política de que tem reticências, … Continue reading O Balanço de Marta Temido

Como combater a falta de professores nas escolas?

Nos últimos dias tem feito algum furor mediático a decisão do governo de permitir a contratação de quaisquer licenciados, nomeadamente os pós-bolonha (em geral, com licenciaturas de três anos, sem componente profissionalizante) para dar aulas. Entre quem ensina, professoras e professores, a notícia gerou alguma insatisfação. É normal que quem estudou anos a fio, nomeadamente … Continue reading Como combater a falta de professores nas escolas?

Os ângulos mortos dos anti-identitários

O que acontecia é que os brancos haviam roubado a música aos negros. Toda a música [pop-rock] assenta sobre esse roubo. Diziam que os Rolling Stones roubavam, mas pelo menos eram heróis, pois confessavam o roubo. Muita da música feita nesses anos assentou numa expropriação. […]Em geral, a música pop e rock nasceu de um … Continue reading Os ângulos mortos dos anti-identitários

Os incêndios sempre aconteceram?

Todos os anos o país é assolado por incêndios rurais. A tragédia repete-se em loop com centenas de hectares devastados, habitações destruídas, meios de subsistência desmantelados, perda de vidas e um leque de experiências traumáticas que compõem a memória individual e colectiva. Todos os anos os incêndios abrem feridas de norte a sul e todos … Continue reading Os incêndios sempre aconteceram?

Assassinatos em contexto de violência doméstica aumentam

Sabiam que o crime mais cometido em Portugal é o crime de violência doméstica?  Alguns números: em 2020 foi o crime mais reportado em Portugal, contabilizando-se, em média, 2300 queixas por mês, o que dá cerca de setenta e cinco queixas por dia, três a cada hora. No ano corrente, entre Janeiro e Maio, foram … Continue reading Assassinatos em contexto de violência doméstica aumentam

A cómoda marginalidade política

“Não é a consciência que determina a vida, mas a vida que determina a consciência” - MARX, Karl; ENGELS, Friedrich em “A Ideologia Alemã “I can't explain, you would not understand, this is not how I am I have become comfortably numb” – Comfortably Numb, Pink Floyd A vida colectiva, conduz-nos ao movimento dinâmico da … Continue reading A cómoda marginalidade política

Greve na CP – Chega de chantagem!

Por Igor Constantino, Ferroviário. Membro da Sub-CT da Oficina de Campolide da CP. Os trabalhadores da CP – Comboios de Portugal estiveram ontem em greve convocada pelo SNTSF - Sindicato Nacional dos Trabalhadores do Sector do Transporte Ferroviário (CGTP) e pelo SFRCI – Sindicato Ferroviário da Revisão Comercial e Itinerante. A greve suprimiu a imensa … Continue reading Greve na CP – Chega de chantagem!

Somos esquerda, somos Bloco

Hoje, dia 14 de Maio, a Mesa Nacional do Bloco de Esquerda aprovou a adesão colectiva das militantes do Semear o Futuro. Juntamo-nos ao Bloco de Esquerda com muito entusiasmo e energia militante: viemos para somar! Abaixo, publicamos a carta enviada à Mesa Nacional do Bloco de Esquerda requerendo a adesão, agora concretizada. Somos militantes … Continue reading Somos esquerda, somos Bloco

Não aceitamos ataques aos nossos direitos

Está em curso a análise de novos critérios de avaliação para profissionais de saúde das Unidades de Saúde Familiar modelo B, proposto por um grupo de trabalho específico criado para elaborar uma série de novas métricas. Em questão está a atribuição de um bónus, um valor adicional ao ordenado base (bastante reduzido, diga-se de passagem), … Continue reading Não aceitamos ataques aos nossos direitos

A descida do ISP aumenta os lucros das petrolíferas

Nos últimos meses, temos assistido a um contínuo aumento do preço dos combustíveis que muito tem sobrecarregado os rendimentos de quem trabalha.  A direita em conjunto com a Associação Portuguesa de Empresas Petrolíferas (APETRO) responsabilizava o “Estado” e a “enorme carga fiscal” através do ISP (Imposto sobre Produtos Petrolíferos) para explicar o aumento dos preços … Continue reading A descida do ISP aumenta os lucros das petrolíferas