O Tsunami verde chega ao México

Numa decisão histórica e apoiada na luta feminista na América Latina o México descriminalizou esta semana o acesso ao aborto até às 12 semanas. Até então só era legal abortar em alguns estados e em caso de violação ou quando a gravidez apresentava riscos para a vida da mulher. De lembrar que o México é … Continue reading O Tsunami verde chega ao México

Solidariedade internacional com as mulheres no Afeganistão

Enquanto feministas, queremos expressar total solidariedade com as mulheres afegãs e demonstrar todo o meu apoio às suas manifestações desde a tomada de Cabul pelos Talibãs. Enquanto feministas internacionais e internacionalistas, defendemos o direito de autodeterminação das mulheres, em qualquer parte do globo, sobre os seus corpos, as suas vidas e o seu futuro e … Continue reading Solidariedade internacional com as mulheres no Afeganistão

Kabul 2021 não é Saigon 1975

Artigo de Valerio Arcary, publicado originalmente no Esquerda Online a 18 de agosto A identificação da derrocada de Cabul em 2021 com a queda de Saigon em 1975 é uma comparação, histórica e politicamente, apressada. Duas fotos parecidas não explicam muita coisa. O elemento em comum é a derrota do imperialismo norte-americano. Qual é a … Continue reading Kabul 2021 não é Saigon 1975

Desigualdades: quem beneficia quando o vírus sofre mutações? Contra o apartheid das vacinas

Texto de Leigh Phillips, originalmente publicado no Jacobin sob o título “Precisamos de um movimento contra o apartheid da vacina”. Tradução feita a partir da publicação de Viento Sur, "Desigualdades: ¿A quién beneficia que el virus mute? Contra el apartheid de las vacunas", traduzido por Rebeca Moore Com taxas altas de vacinação em grande parte … Continue reading Desigualdades: quem beneficia quando o vírus sofre mutações? Contra o apartheid das vacinas

Missão Pública Organizada: “os trabalhadores decidiram organizar-se para terem um maior controlo das condições de trabalho.”

A Missão Pública Organizada (MPO) é um movimento de funcionários públicos, formado em 2017, que visa debater o Sistema Integrado de Gestão e Avaliação de Desempenho na Administração Pública (SIADAP) e seus efeitos, e a necessária mudança na organização do trabalho da Administração Pública Portuguesa (APP). Na origem da MPO estão os próprios trabalhadores da base … Continue reading Missão Pública Organizada: “os trabalhadores decidiram organizar-se para terem um maior controlo das condições de trabalho.”

Interseccionalidade e género, classe e raça a partir das obras de Kimberlé Crenshaw e Angela Davis

O colectivo Feministas.pt tem feito, desde o inicio do ano, um curso sobre feminismos, abordando as principais problemáticas do movimento feminista nacional e internacional, as teorias e as teóricas. Tem feito sessões mensais com diversas convidadas e o debate tem sido enriquecedor. A sexta sessão do curso foi sobre “Interseccionalidade e género, classe e raça … Continue reading Interseccionalidade e género, classe e raça a partir das obras de Kimberlé Crenshaw e Angela Davis

O governo húngaro ataca a comunidade LGBT+ no mês do Pride

Segunda feira, dia 14 de Junho milhares de pessoas encheram as ruas de Budapeste para contestar a legislação homofóbica e transfóbica proposta por Orbán e o seu partido (conservador e de extrema-direita), que estigmatiza ainda mais as pessoas LGBT e facilita o atropelo contínuo do governo sobre seus direitos, confundindo propositadamente a pedofilia com questões … Continue reading O governo húngaro ataca a comunidade LGBT+ no mês do Pride

Aos agressores absolvidos e às sobreviventes que ficam pelo caminho.

Artigo 152.º Violência doméstica “Quem, de modo reiterado ou não, infligir maus tratos físicos ou psíquicos, incluindo castigos corporais, privações da liberdade e ofensas sexuais:a) Ao cônjuge ou ex-cônjuge;b) A pessoa de outro ou do mesmo sexo com quem o agente mantenha ou tenha mantido uma relação de namoro ou uma relação análoga à dos … Continue reading Aos agressores absolvidos e às sobreviventes que ficam pelo caminho.

Como devemos agir perante denúncias e situações de violência machista, racista ou LGBTfóbica no campo da Esquerda?

Escrevemos este texto como contributo para pensarmos em conjunto, nos movimentos sociais, nos partidos, nos sindicatos, comissões de trabalhadores, organizações de manifestações, como lidar com a opressão machista, racista ou LBGTfóbica que se expressa nas nossas fileiras. Iremos publicar nos próximos dias alguns textos que não são da nossa autoria que abordam situações concretas e … Continue reading Como devemos agir perante denúncias e situações de violência machista, racista ou LGBTfóbica no campo da Esquerda?

#EuTambém

...já sofri assédio sexual ...já fui alvo de comentários machistas ...já fui violada ...já fui agredida ...já fui vítima de violência psicológica ...já fui controlada por um parceiro ...já fui deslegitimada quando denunciei Tarana Burke fundou, em 2006, o movimento Me Too, para denunciar assédio sexual e violência de género nos EUA. Vários anos mais … Continue reading #EuTambém